terça-feira, 25 de maio de 2010

Ruim de jogo

Antes mesmo que ele diga
Eu já rezo, faço figa
Eu prometo
Pra ter medo de perder
Eu prefiro nem te ter
Assim esqueço
Nesse jogo complicado
Sempre faço tudo errado
Pra tentar ganhar
Mas num jogo que não deixa ganhador
Esse jogo que escraviza o jogador
Já não quero jogar
Nem se for de tabuleiro
Não arrisco meu sossêgo
Numa aposta
Tem até ditado antigo:
O costume do cachimbo
A boca entorta
Se eu der o primeiro passo
Sei que caio nesse laço
Sem poder voltar
E um jogo que não deixa ganhador
Esse jogo que escraviza o jogador
Já não quero jogar...