quarta-feira, 30 de junho de 2010

Não sei se te importas,
Nem ao menos se acreditas.
Mas minhas veias só falam tu.
Meu sangue pulsa a tua nota.

Abraço.

Invade a blusa
A mão na pele.
Estica os dedos,
Encosta o corpo,
Respira perto.
E esquenta.

domingo, 27 de junho de 2010

No ônibus.

O menino dormiu
Sono fundo de quem sofre
Ele sorriu
Um sorriso que o fez forte
Dorme, sorri...
Cochila, menino,
Quando o mundo chegar
Eu te acordo.
Se recoste aí...
Sorria menino,
Quando for pra chorar
Eu te apóio;
É hora de ir.

sábado, 26 de junho de 2010

Maturidade, homem.

Fruta boa essa,
Colorida,
Carnuda,
Viçosa,
Que cai do pé
Roça as raízes
E para nos meus dedos, pedindo:
Me coma.

Nossos laços

Amarrou meu coração
No laço do sapato sujo.
Não sei desfazer nós cegos.
Então nós, cegos, seguimos juntos.

Doentes.

Conta uma história nova
Conta uma mentira agora
Depois pode se sentar

Deixe que alguém se culpe
Deixe que alguém se ocupe
Dessa coisa de chorar

Espere, que alguém implora
Espere, alguém fecha a porta
Aí você não vai fingir

Que vai embora de vez
Então só conte até três
E tudo isso vai sumir.

sábado, 19 de junho de 2010

Tudo dela

Fugia dos olhos dela
Marrons janelas
Da alma dela.

Comia o colo dela
Cor de canela
Cheira a macela.

Queria era um beijo dela
Rosa amarela
Dama donzela...

Laissez Passeir

Tempo é folha que fica.
Vida,
Orvalho da madrugada
Que seca quando nasce o sol
E dá lugar a outro novo,
Quando cai a noite.

Baleiro

Apaixonei pelo baleiro
Vendia doces, isqueiros,
Remédio pra dor nas pernas.

Ele é um moço bem arteiro
Vende também chaveiros,
Faz graça com mini-lanternas.

Faz umas rimas tão loucas
Tem uma voz muito rouca
Que é mesmo tão boa de ouvir

"Moça linda, não seja boba
Se tem namorado, fique de touca
Cuidado pra ele não te trair!
(...mas já sabe, qualquer coisa, tô aqui)"

Pergunta do tempo.

O que você quer, menina? Sabe fazer o quê?

Eu sei criar, menino.

Aaah... E isso se come?

(O que você quer, menina?
O que você sabe fazer?
Eu sei criar, menino,
Mas o que eu crio,
Não dá pra comer.)

Humpf.

Tudo a que dedico amor
Tudo que me entorpece
Zomba, me causa dor.
...
...
...
...
...
...
E se já não quero mais,
Dócil...me envaidece
Para que eu volte atrás.

Me acredite.

Pereço na tua ausência
Do cheiro certo,
Do teu pescoço.

Padeço de uma carência:
Seu riso aberto,
Sussurro rouco.

E caço verdades tuas
E tu me caças
No tom da voz.

Precisas de quantas luas
Pra ver a graça
Que acho em nós?

Gato

Suave e quente
Se ajeitando em mim
Sou colo permanente
(Amiga sincera,
amante fiel)
E é sempre assim.

Aberta a janela
Pula para a rua
Num canto tagarela
(Namora várias,
namora todas)
Namorando a Lua.

Naõ espero e rezo;
Sei da sua volta.
Então, com muito esmero,
(Te alimento,
te arrumo a cama)
Nunca fecho a porta.

domingo, 13 de junho de 2010

Agoniado.

Já é hora...
Vou me deitar
Vou deitar não
Pra não sonhar com você
Sol lá fora
Vou levantar
Ah, não vou não
Não quero ir sem você
Vai tudo bem
Eu só queria mais um tempo
Mas seu cheiro vem no vento
Pra me agoniar
Se você vem
Eu vou me por todo cheiroso
Num terninho bem jeitoso
Pra a gente dançar...

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Dia dos Namorados.

Se eu dissesse tudo
Pra você
E te desse o mundo
Só pra ver

Seu sorriso bobo
Seu sussurro louco
Ia ser tão barato
Pra me advinhar

Deixa o absurdo se achegar
Deixa essa história caminhar
Eu sei que tudo é sempre igual
Mas dessa vez não vai ser tão mal

Eu te dou meu olhar mais sincero
E te desejo tudo que eu mais quero
Que é pra o jogo ser justo
Que é pra ninguém ter susto;
Bora tentar.

Single = Cheaper

Cartões de papel,
De gliter, de cores,
Em tons de pastel
Descrevem amores
Que eu vi na tv.
Todas as vitrines
Presentes iguais
E casais felizes
São cartões postais
Que têm tudo a ver.
Parece que tudo conspira
Parece que o amor se atira
Pra eu me entregar a você.

(Mas é só Dia dos Namorados,
toda loja tem um recado
específico pra você.)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Escrever.

Sonhos coloridos
Beijos que roubei
Sussurros ouvidos
Conchas que catei.

Escrevendo sonhos
Tinta de caneta
Tudo que componho
Ri ou faz careta.

terça-feira, 1 de junho de 2010

36

Meu mundo não é
Nada complicado
Dá certo ou dá errado
Simples de entender
Xícara de café
O pé descalço
Cheiro bom de talco
Uma fruta pra comer
Mas olhei pra você
Cores diferentes
Barulho silente
Música pra ver
Só queria saber
Se eu posso querer saber
O que é pra querer de você.