segunda-feira, 30 de abril de 2012

O quanto

Quantas vidas eu queria ter
Só pra ver você chegar de novo
Na minha porta, no quarto, na sala,
Cara de riso ou louco de raiva?

Quantas luas tinham que nascer
Só pra eu poder te ter de novo
Na minha cama, naquela escada,
Em qualquer canto daquela casa?

Todas as vidas do mundo
Todas as luas no escuro
Tantos sorrisos e raivas
Todos os vãos dessa casa.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Entre a dor e a novidade
A novidade é linda, a dor é passageira.
Larga o medo em algum canto;
A vida é salto livre num desfiladeiro.
A água leva as folhas
O vento sopra o som
E eu danço sozinha
Qualquer assobio.

Franco

Meus papéis de carta
Se descoloriram
Estavam guardados
Para não rasgar.

Pra não desbotar
O calor que eu sinto
Amo todo dia
Sem nada guardar.



segunda-feira, 2 de abril de 2012

Lavoro

No começo deste beijo
Desta escolha que é tão nobre

Flutuantes pernas,
Braços fortes,
Bocas verdadeiras.

Se, enfim, chegar ao meio
Se conserva o mesmo norte

Sonho à léguas,
Muita sorte,
Verdades derradeiras.