quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O ano inteiro de sol

Que a chuva vem, você sabe
Que os raios virão, sei também.
Nunca num ano inteiro foi sol
Sem molhar setembro ou janeiro
Mesmo que fosse o mais quente verão.

Que o tempo passa, é verdade
Que a saudade dói, eu sei bem.
Nenhum amor é imaculado
O pecado é querer que ele brilhe
Mesmo quando o céu é só escuridão.

Não posso esperar
Que não chova nunca
E que nunca me doa
Se acaso você se for
Ou mesmo que o tempo
Fique calado
Esperando, coitado,
Que você entenda
O amor.

domingo, 14 de outubro de 2012

Polly


Eu que queria tanto ser
Que nem todo mundo que sorri
Descobri que amar
É quase como apostar no baralho:
Desigual, nem todo mundo vai ganhar,
E não é sempre que eu vou conseguir
Blefar.
É real, se alguém quiser te olhar
Bem no fundo dos olhos só pra te
Enganar.
Eu, que queria dançar pela chuva
Que nem todo mundo que é feliz
Descobri que viver
É quase como jogar amarelinha:
Divertida, mas eu posso tropeçar,
Pode ser que ninguém venha me
Levantar.
É legal, mas minha vez vai passar,
E talvez fique tarde e o jogo vai se
Acabar.